Nheengatu

.Ixê aikú iké akuntai arama penharã mayé uyukuawa kua yaneenga nheegatu. Asuí ambéu arama mayé yasasaua puxuera tiresewara yaxari putai ukanhemo kua yaneenheega. - Égua! Que diabo é isso? – pergunta o leitor assustado. Bom, vou logo avisando que estou apenas transmitind...

Detalhes

  O Jacamim andava ciscando no terreiro e, com seu bico irrequieto, beliscava um inseto aqui, uma minhoca ali, uma sementinha acolá. Sua sogra, que assistia a cena, viu que tudo nele era desproporcional e deselegante. Pescoço pelado, curvo e compriiiiido. Cabecinha minú...

Detalhes

 No litoral brasileiro, uma parte expressiva da população falava tupi, tupinambá, além da língua portuguesa que chegou com os colonizadores e foi se impondo gradualmente; essas línguas conviveram em situação de bilingüismo até meados do séc. XVIII. Na Amazônia, até mead...

Detalhes

O rio fala, a floresta fala e os índios falam através das fotos que o conde italiano Ermanno Stradelli (1852-1926) fez na Amazônia, no século XIX. Essas vozes serão ouvidas em São Paulo, a partir desta quarta-feira, 10 de abril, quando depois da abertura da exposição or...

Detalhes

Tinha cara de bebê chorão. Morava na Ilha do Governador. Não lembro mais o nome dele. Agnaldo ou Agnando, uma coisa assim, mas era conhecido como Pindá. Como qualquer vendedor de drogas em porta de escola,percorria diariamente universidades para abastecer a clientela,cu...

Detalhes

Com todo respeito, que me desculpem os ouvidos pudibundos, mas "a piroca é nossa". É. É isso mesmo que vocês ouviram. Quem afirma não sou eu, mas o deputado Wanderley Dallas (PMDB-vixe), autor do projeto nº 341/2012, ora em tramitação na Assembleia Legislativa, que elev...

Detalhes